3007
Com a correria do dia a dia e o stress de uma agenda cheia, muitas vezes a saúde e o bem-estar ficam em segundo plano, quando não caem no esquecimento total. Inúmeras desculpas são dadas para deixar de lado a preocupação com o corpo, a mente e o espírito, como a falta de tempo, o excesso de trabalho e o cansaço. No entanto, as consequências desse comportamento podem ser danosas. Mesmo com uma rotina atribulada, é preciso parar um pouco, reservar momentos de lazer, respirar fundo. Contemplar a natureza, amar e cultivar amizades também contribuem para tornar melhor e mais rica a nossa relação com o cotidiano.

Ao longo do tempo, o conceito de vida saudável mudou. Conforme a Organização Mundial da Saúde, é um estado de completo bem-estar físico, mental, social e espiritual, e não somente a ausência de doenças ou enfermidades. Isto quer dizer que estilo de vida saudável envolve fatores como atividade física, nutrição, relações afetivas e sociais, comportamento preventivo, introspecção, trabalho, moradia, serviço de saúde, entre outros.

O conceito de saúde é, portanto, mais abrangente, holístico e até mais rigoroso. Não se espera mais que uma doença se manifeste para tomar providências e ampliar o leque de atividades diárias que façam bem. Buscar saúde hoje não significa apenas evitar a morte, mas principalmente aproveitar com total disposição e alegria o que o mundo nos oferece. Ser saudável no século 21 faz parte de um projeto de vida feliz.

Com esse propósito, é fundamental observar a sua rotina e os seus hábitos e mudar o que for necessário para distensionar. Ter uma alimentação balanceada, comer sem pressa, controlar o peso, fazer exercícios físicos e alongamentos da musculatura para proteger as articulações, aliviar dores na coluna e corrigir a postura, e dormir bem. Essas práticas previnem doenças cardíacas, cardiovasculares, diabetes e obesidade, além de atenuar as inevitáveis tensões cotidianas, das quais nem sempre conseguimos fugir.

Já pensou em criar um cantinho zen em casa? Um lugar aconchegante onde possa se exercitar e alongar e, ainda, meditar, fazer yoga, pilates ou simplesmente relaxar, descontrair, longe da televisão, do computador e do barulho? Esse espaço pode ser no quintal, em área verde ao ar livre, na varanda, na sala.

O cantinho relaxante deve ser organizado, ter um tapete ou futon (tipo de colchão japonês), almofadas, uma rede para se balançar, ouvir uma boa música ou ler um livro. Com uma iluminação adequada, preferencialmente baixa, a utilização de velas e aromatizantes, o ambiente se torna ainda mais acolhedor. A decoração com flores também dá um clima de leveza ao espaço, assim como o uso de cores neutras e relaxantes, como o azul, verde, lilás, rosa, bege e branco.

Para harmonizar o cantinho zen, bem como a casa toda, existem recursos como o Feng Shui. A técnica chinesa de harmonização de ambientes, conhecida há mais de quatro mil anos, organiza os espaços, mantém o equilíbrio entre cores, tamanhos, iluminação e ocupação de espaços livres. Faz a energia fluir, equilibradamente, atraindo saúde, prosperidade e boas vibrações.