AF-2355-11_Internas

A ansiedade infantil pode se manifestar ainda nos primeiros anos de vida, se a criança for muito insegura ou não souber lidar com algumas situações. Os sintomas podem aparecer diante de episódios que envolvem separação, mudança ou perda, mas para os papais e mamães de plantão ficarem tranquilos: a meditação é um método natural que pode ser praticada em casa e ajuda no controle desse mal-estar.

Os sintomas da ansiedade infantil, como fome o tempo todo, choro frequente, inquietude ou mudança de comportamento podem ser identificados no dia-a-dia, principalmente quando a criança ‘regride’, voltando a fazer xixi na cama, chupar o dedo ou desenvolver problemas na fala. É nesse momento que os responsáveis ou cuidadores devem dar todo apoio para ajudar a criança a ultrapassar essa fase.

É aí que entra a meditação. A prática regular dessa atividade ajuda as tornam menos propensas ao estresse, preocupações e doenças, além de ajudá-las a desenvolverem laços mais profundos com as coisas a seu redor. Na meditação, os pequenos aprendem a relaxar durante alguns minutos e não precisam fazer absolutamente nada, só se entregarem a paz de espírito, reduzindo a ansiedade. É importante que essa prática esteja unida a uma rotina mais leve, sem excesso de tarefas, ruídos ou estímulos. É a hora zen.

A relação com pensamentos próprios também é uma dificuldade para crianças ansiosas, como a ideia de que vai reprovar na escola. A chamada mindfulness ou atenção plena, é uma meditação que trazem benefícios incríveis para as crianças e as ajudam a domar esses pensamentos. É uma prática que se usa da imaginação e apoio total dos pais e orientadores. Dê uma olhada em como praticar esse exercício de mindfulness com as crianças:

1 – Use a imaginação para ensinar o dever a seu filho: pensamentos são como trens que chegam de uma estação movimentada, e que ele está em pé na plataforma os vendo passar. Questione seu filho se ele teve algum pensamento ansioso recente e como foi.

2 – Peça para a criança imaginar o trem chegando à estação.

3 – Explique que quando o trem chega, às vezes é passageiro e às vezes ele estaciona por um tempo. Explique que quando o trem parar ou permanecer na mente, se pode sentir emoções diferentes. Não há problema em sentirmos algo, é normal. Nessa explicação, pratique junto a criança o exercício de inspirar e expirar, onde o desafio de vocês dois será focar nessa ação e não no trem em suas mentes, porque, na teoria, logo ele “irá passar”.

4 – Peça que seu filho continue a imaginar o trem, à medida que o veículo sai da estação e explique que, assim como esse movimento, os pensamentos também se movem e é preciso reagir a cada um deles. Pode-se apenas observá-lo e, ao fazer isso, o objetivo é modificar o pensamento em relação a eles.

Respirou fundo? Agora é só criar uma rotina desse exercícios com seus filhos. <3